Filme: O sol é para todos

Hello!

Para variar um pouquinho, resolvi assistir um filme clássico: O sol é par todos. É um filme do ano 1962, dirigido por Robert Mulligan, uma grande obra-prima que deve ser considerada atemporal, capaz de retratar com brilhantismo o tema ‘racismo’, fortalecido por belíssimas cenas que primam pelo humanismo e otimismo. Eu amei o filme, já entrou para a listinha dos favoritos, e eu super recomendo ❤

66_O-Sol-é-Para-Todos.jpeg

O filme é também um livro (vencedor do Pulitzer de 1960) que infelizmente eu nunca li da autora Harper Lee. O filme se passa nos EUA, onde um excelente advogado , Atticus Finch ( interpretado por Gregory Peck) é convocado pelo xerife da cidade de Macomb, no Alabama, para defender o caso de um negro Tom Robinson (Brock Peters), acusado de estuprar uma branca Mayella Violet Ewell (Collin Wilcox Paxton). O pai da moça, enfurecido com a suposta agressão à sua filha, faz de tudo para acabar com a vida do rapaz, dentro e fora dos tribunais, enquanto Finch defende veemente a visão de Robinson, mesmo que isso lhe angarie o ódio por muitos.

Atticus tem dois filhos pequenos e é viúvo. As crianças desempenham um papel importantíssimo nessa história! Scout Finch é a caçula e também a narradora do filme que, de algum lugar, vai relembrando seu passado. Seu irmão mais velho, protetor e companheiro de aventuras, Jem Finch, e seu mais novo amigo,  Dil, que passa as férias na região, vivenciam um julgamento histórico, logo na infância.

Além da questão do racismo, há também a abordagem do que é ser criança e do que significa crescer e amadurecer. O filme confronta a inocência das crianças com o preconceito dos adultos. Destacando sempre o papel de educador do pai que em momento algum reprime seus filhos e sempre encontra uma forma carinhosa de passar um ensinamento. Atticus, o pai, faz o possível para ensinar aos filhos o discernimento entre o que é regra e o que é certo

A questão do que é justo, o que é bom e o que a maioria quer é também é motivo de grande reflexão dentro da obra. O julgamento de Tom Robinson, para mim, foi uma surpresa. E as crianças assistiram na integridade, cada palavra, cada lágrima, cada falsidade..

O que este caso poderá criar na vida de uma criança? Como uma criança irá agir com tamanho racismo e injustiça? Como a Scout irá agir perante aos comentários das demais crianças, adultos e idosos de uma sociedade ‘conservadora’ e extremamente racista? Como Scout enfrentará a sua ‘Guerra Particular’ em meio a crise de 29? Que princípios a pequena protagonista irá levar em sua vida? O SOL É REALMENTE PARA TODOS?

Uma curiosidade: aos 10 anos, em 1963, Mary Badham concorreu ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante pelo papel de Scout Finch, sendo uma das pessoas mais novas a serem indicadas para um prêmio na Academia. #Choquei #Merecido

Trailler do Filme:

 

Espero que tenham gostado da resenha e que eu não tenha dado muitos spoilers hahaha Ah, deixem sua indicação de filmes nos comentários!

Beijos, beijos

 

4 comentários sobre “Filme: O sol é para todos

Hello, gostou do post? Então deixe aqui seu comentário. Beijos

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s