Duas metades se entregando pela metade

amoor

Uma bela noite, no meio das minhas férias, em que a única meta era me divertir com as amigas, sem a menor esperança que um encontro especial aconteça, esbarrei com você. Te reparei de longe por algum tempo. Senti uma coisa estranha e tive algumas impressões como se você não fosse um desconhecido. Já estava me sentindo meio louca. Um tempo depois, você se aproximou, acho que eu estava olhando demais.

Ficamos. Ele me trouxe em casa e na hora de se despedir pediu meu telefone, mas eu ainda não tinha decorado meu número novo e estava sem celular. Ele me deu um cartão com seus dados e pediu que eu ligasse para passar meu número. Ainda meio alterada, respondi que se ele quisesse ia ter que me procurar.

Então, fiquei na minha. Mas já tinha pesquisado tudo sobre ele no facebook. Muitos amigos em comum. Como eu tinha conhecido ele ainda??

Dois dias se passaram, até que ele me mandou mensagem, me chamou para sair, me buscou em casa e lá estávamos nós, a sós, no melhor restaurante. Meu coração saiu pela boca. Mas a noite foi ótima. Conversa. Música. Comida. Ambiente. Tudo perfeito!

Continuamos assim, ligados e confidentes. Ele disse que tinha a sensação de me conhecer de outra vida, e que eu podia achá-lo um idiota por estar dizendo isso. Eu disse que sentia a mesma coisa, mesmo sabendo que o conhecia há menos de uma semana. Ele ia passar o fim de semana em outra cidade. Me despedi, mas quando o abracei, me deu vontade de ficar ali pra sempre. Demos um beijo e eu saí meio atordoada.

Às vezes, quando se sonha alto, o tombo é mais dolorido. Mas ninguém estava afim de ficar na superfície.

Não tivemos vergonha ou pudor. Não nos escondemos, nem escondemos palavras ou sentimento. Temos muita disposição. E também muita vontade de dormir. Temos o mesmo paladar, humor, forma de tratar as pessoas e a mesma forma de viver a vida. Criamos um mundo nosso entre quatro paredes e a rede.

Então, um outro dia, perto de completarmos um mês, descobri algo: ele tinha namorada. Foi quando me dei conta onde eu estava me metendo. Percebi a intensidade do que eu estava vivendo. Tudo era só um pedaço. Duas metades se entregando pela metade.

Eu era metade porque estava carente disposta a me entregar ao primeiro que tivesse uma coisa em comum comigo. Ele era metade porque não fazia questão de ser inteiro comigo.

Sem brigas, sem chororô, sem dramas. Enviei uma mensagem para ele:

-Fim. Obrigada. Seja feliz.

Depois disso deletei a mensagem, e ele, da minha vida.

Anúncios

Hello, gostou do post? Então deixe aqui seu comentário. Beijos

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s