Filme: O doador de memórias

THE GIVER

Hello, people!

 

Numa dessas minhas insônias da vida, encontrei o filme O DOADOR DE MEMÓRIAS no Netflix e, já conseguiu despertar meu interesse logo no título. O filme foi baseado no livro de mesmo título do autor Lois Lowry e levanta questionamentos e reflexões a respeito do sentido da existência, o sistema que nos controla e a injustiça tão eminente no mundo em que vivemos.

Eu gostei muito da adaptação para cinema, sem contar que fala sobre temas que eu tenho muito interesse: fala do controlar e do ser  controlado, da alienação social, da idealização do capitalismo que controla o mundo dentro do pensamento genérico e da condição que o governo impõe ao mundo globalizado. Há sim muita semelhança com o filme e nossa realidade. Super recomendo!

Até os 12 anos, as crianças pertencem a grupos de acordo com as idades, existe o grupo de um, de dois, de três e assim por diante. E todo ano, em dezembro, acontece uma grande cerimônia onde as crianças mudam de grupo. A cerimônia mais importante é a do grupo dos doze, onde cada um conhecerá o trabalho para qual foi designado e que exercerá até ficar idoso. Após essa cerimônia eles começarão o treinamento e darão início a sua vida adulta.
Existem várias atribuições dentro dessa comunidade dentre elas criadores, Mães-biológicas, Assistente de recreação, entre outras.
Jonas vive em sua unidade familiar com seu pais, e a irmã Lily. O pai de Jonas é criador, ou seja, ele é responsável por todas as necessidades físicas e emocionais das crianças novas, até elas completarem cerca de 1 ano. Sua mãe ocupa um bom cargo no departamento de justiça e sua irmã faz parte do grupo de sete.
Jonas é do grupo de onze e está apreensivo para a cerimônia que acontecerá em breve, pois deseja muito saber para que trabalho será designado.
Na cerimônia de doze, Jonas foi nomeado o novo recebedor de memórias da comunidade, ou seja, ele será o único responsável, por manter todo o conhecimento do passado e as memórias que a comunidade não tem, o que pode ser algo muito doloroso e conflitante.
Ao iniciar seu treinamento com o doador, ele começa a receber suas primeiras memórias. No início ele gosta bastante das boas memórias que recebe: Uma noite de natal, lembranças do amor, um dia de neve. Mas aos poucos ele percebe que nem todas as memórias são boas e que algumas inclusive são bastante dolorosas, então ele conhece também a guerra, a fome e a morte.
Jonas começa a perceber também que vive em mundo onde ninguém tem escolhas, onde os sentimentos são mascarados e em vários momentos surge o questionamento: Será que se pudéssemos escolher, faríamos a escolha certa?.
Conforme o tempo vai passando um sentimento de revolta surge em Jonas, e faz com que ele e o doador, pensem se não seria muito mais justo se todos dividissem essas memórias, se todos soubessem como o mundo já foi e se todos pudessem fazer suas escolhas.

Esse o tipo de filme que nos faz questionar como seria nossa vida se não pudéssemos escolher e nós faz pensar na importância da nossa liberdade.

TRAILLER

 

Anúncios

Hello, gostou do post? Então deixe aqui seu comentário. Beijos

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s