Outubro Rosa – Prevenção Vital

bc3e4e_61074e5106354616bfadca8df7ab9241-mv2

O tema do post de hoje é muito importante e requer uma atenção especial. O mês de outubro contempla uma campanha de conscientização internacional chamada OUTUBRO ROSA. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.

O objetivo principal é alertar a sociedade, principalmente as mulheres, sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo povos diversos em em torno da causa. A iluminação em rosa em prédios públicos assume importante papel, pois tornou-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo.

PREVENÇÃOÉ recomendado, além do auto exame, que a mulher faça os exames de rotina de acordo com a sua idade. O exame mais adequado — mamografia, ultrassom ou ressonância magnética — será indicado pelo médico de acordo com cada uma. Eles podem ajudar a identificar o câncer antes da pessoa ter sintomas. No Brasil, as orientações para detecção precoce do câncer de mama são:

  • Mulheres de 40 a 49 anos devem realizar o exame clínico das mamas anualmente;
  • Mulheres de 50 a 69 anos devem realizar exame clínico das mamas anualmente e mamografia a cada dois anos.
  • Mulheres com risco elevado para câncer de mama (caso na família de câncer de mama masculino; ter parente de primeiro grau [mãe, irmã, filha] que teve câncer de mama antes dos 50 anos; parente com câncer de mama bilateral (nas duas mamas) ou no ovário, em qualquer idade) devem fazer a mamografia anualmente a partir dos 35 anos.

Confira as recomendações do Instituto Nacional do Câncer

Outra coisa muito importante e que deve ser mencionada é a autoestima da mulher durante o tratamento do câncer de mama. As mudanças físicas durante o tratamento, como a queda do cabelo,  podem ter um grande impacto na forma como a mulher se sente a respeito de si mesma. Fiz um post sobre isso aqui.

Se cuidem. Se amem! Beijos ❤

Anúncios

Dra. Fiama: bacharela e advogada – substantivos femininos

feminist

Vinte e poucos anos, apenas vinte e cinco para ser mais específica, e já sou – ‘estou’ – sendo chamada de doutora e bacharela. Dá um frio na barriga!

Orgulho da minha avó, dos meus pais, dos meus irmão tios e tias. Orgulho de algumas professoras e de grupos feministas também, será?

Pois é, a valorização do substantivo feminino é questão de orgulho sim! Por isso eu faço questão de honra-los. Por mais que ainda se pareça estranho, sobretudo no que se refere a termos sonoros (bacharela), o correto é optarmos por tal forma gramatical.

Nunca é demais ser exageradamente feminina – feminista –  como vocês preferirem!!!

A língua portuguesa é machista sim e devemos quebrar esse resquício do paradigma patriarcal e buscarmos cada vez mais a identidade da mulher em vários âmbitos profissionais e públicos!

Você se lembra de alguma vez ter visto uma tabela em que os substantivos femininos ganhavam destaque sobre os masculinos? Aposto que não.

Os dicionários demarcam minuciosamente as acepções nos nomes masculinos, enquanto os nomes femininos ficam relacionados com os significados dos primeiros.Você já deve ter percebido que o assunto oferece muito “pano para a manga”, extrapolando as fronteiras de uma simples discussão gramatical.

Além disso, as ocupações de mulheres em postos de trabalho sofrem da transferência de suas características socialmente imputáveis (organização, manutenção, cuidados). É assim que o preconceito se mostra nas pequenas coisas.

As mulheres recebem menos, termos salariais, que os homens e, são as mulheres, preenchem os piores índices de desemprego e também do trabalho informal, no qual sofrem com a falta de oportunidade de promoção e, principalmente, de garantias previdenciárias e trabalhistas.

 

Mulher já nasce formada em Direito, só pode!

12270_565189446830564_938150511_n

Já percebeu que mulher já nasce formada em direito???

Não entendeu? Então, confere comigo!

Ninguém vence uma discussão! As mulheres têm o grande talento de serem dramáticas, inteligentes, persistentes, autênticas e corajosas. E no fim, simplesmente se entregam a um mísero: “Ok, você venceu, segue o baile”.
Mulheres são irônicas, espertas, teimosas e falam “não” por puro prazer. Às vezes, se consideram simples, mas são complexas, pode ter certeza disso. Mulher é um pouco de tudo em uma só!
Nada pela metade, viu?! Mulheres gostam do completo e não se satisfazem com pouco.
Tem dia que as mulheres são loucas, do tipo: “ só vai, porque vai que dá certo”, mas pode ter certeza que elas sabem exatamente onde querem chegar.

Elas são livres, são leves e cheias de garras! Mulher é força, bebê! Têm classe, são “chiques” e lidam com situações desesperadoras sem descer do salto 15 ou borrar a maquiagem. OK, tá certo, conseguimos fazer tudo isso sem make, de pijama e cabelo preso num coque bagunçado também! E que mal tem nisso? 


Chatas, irritantes, perfeccionistas e orgulhosas. Acham que estão sempre certas e nunca dão o braço a torcer. Mulheres são sábias e vão a luta. Correm atrás de seus sonhos e os realizam. 

E sabe de uma coisa? Elas possuem todas as imperfeições de um ser que é humano e perfeito.

P. s: Desde criança eu já advogava e não sabia, imagine quando eu realmente começar a advogar? Só acho que o “negócio” vai ferver!!!

Cleo Pires: a nova ícone feminista favorita

naom_58c9536917ee3

Cleo Pires estreou na televisão aos onze anos de idade em uma participação em “Memorial de Maria Moura” (1994). Na minissérie, viveu a protagonista Maria Moura quando criança. A personagem na fase adulta foi vivida por sua mãe, Glória Pires.

Depois disso, participou de várias outras minisséries, novelas e filmes também apresentou alguns programas e foi capa de inúmeras revistas.

Seja fã da atuação dela ou não, você precisa saber que esta mulher é coisa grande. Cleo tem como missão pessoal ensinar as mulheres a: “Confiar em seus instintos e alimentar os desejos“. Ok, é improvável que ela, por si só, mude a cabeça de alguém, mas, em um momento em que as estrelas pop são inautênticas e apolíticas, isto é refrescante. Cleo está cada vez mais relevante!

Ao invés de crescer na sombra de seus pais famosos, Cleo trilhou seu caminho, venceu os obstáculos de seu sexo (que foram evidentes desde o início, e ela os tem superado desde então) e cada dia ela se torna mais autêntica e independente.

Cleo criou um site (http://www.cleopires.com/ )  voltado a moda, beleza, lifestyle e feminismo.

Cleo afirmou em entrevista ao site da Vogue:

“Eu sou feminista. Está super em voga isso. Toda vez que repito essa frase, logo penso “putz, acho que cansou um pouco o termo”. Mas eu não acho que cansou. É muito bom que todo mundo esteja falando nisso. Fui percebendo aos poucos que precisamos primeiro falar sobre feminismo para entederem que isso não é algo excludente. Ninguém quer que os homens tenham menos direitos e que as mulheres tenham mais direitos que os homens. Quando pedimos direitos iguais, não estamos pedindo para sermos tratadas como homens. É entender o que é a mulher e a peculiariedade de cada uma, mas, também, ter um conjunto de leis que nos privilegiem todos, e não só os homens. E isso ainda não aconteceu, então nós precisamos do feminismo. Principalmente na cultura que temos. Muitas vezes a gente se expressa sobre algum assunto de uma forma que nem nos tocamos… Isso acontece muito nos casos de estupro: logo queremos saber como ela estava vestida e o que ela fez para aquilo acontecer. Existe uma mentalidade em culpar a mulher por mostrar a sua sensualidade e se expressar de forma diferente, ou por não usar sutiã, por exemplo. O peito não é um orgão sexual, é um orgão com o qual você alimenta. Você pode usá-lo como sexual se quiser, mas não deve ser encarado desta forma. A nossa sexualidade não deve ser oprimida.”

Por todos esses motivos, escolhi a Celo Pires para ser a nova ícone feminista favorita!

Deixe nos comentários sua indicação de ícone feminista ❤