Filme: O doador de memórias

THE GIVER

Hello, people!

 

Numa dessas minhas insônias da vida, encontrei o filme O DOADOR DE MEMÓRIAS no Netflix e, já conseguiu despertar meu interesse logo no título. O filme foi baseado no livro de mesmo título do autor Lois Lowry e levanta questionamentos e reflexões a respeito do sentido da existência, o sistema que nos controla e a injustiça tão eminente no mundo em que vivemos.

Eu gostei muito da adaptação para cinema, sem contar que fala sobre temas que eu tenho muito interesse: fala do controlar e do ser  controlado, da alienação social, da idealização do capitalismo que controla o mundo dentro do pensamento genérico e da condição que o governo impõe ao mundo globalizado. Há sim muita semelhança com o filme e nossa realidade. Super recomendo!

Até os 12 anos, as crianças pertencem a grupos de acordo com as idades, existe o grupo de um, de dois, de três e assim por diante. E todo ano, em dezembro, acontece uma grande cerimônia onde as crianças mudam de grupo. A cerimônia mais importante é a do grupo dos doze, onde cada um conhecerá o trabalho para qual foi designado e que exercerá até ficar idoso. Após essa cerimônia eles começarão o treinamento e darão início a sua vida adulta.
Existem várias atribuições dentro dessa comunidade dentre elas criadores, Mães-biológicas, Assistente de recreação, entre outras.
Jonas vive em sua unidade familiar com seu pais, e a irmã Lily. O pai de Jonas é criador, ou seja, ele é responsável por todas as necessidades físicas e emocionais das crianças novas, até elas completarem cerca de 1 ano. Sua mãe ocupa um bom cargo no departamento de justiça e sua irmã faz parte do grupo de sete.
Jonas é do grupo de onze e está apreensivo para a cerimônia que acontecerá em breve, pois deseja muito saber para que trabalho será designado.
Na cerimônia de doze, Jonas foi nomeado o novo recebedor de memórias da comunidade, ou seja, ele será o único responsável, por manter todo o conhecimento do passado e as memórias que a comunidade não tem, o que pode ser algo muito doloroso e conflitante.
Ao iniciar seu treinamento com o doador, ele começa a receber suas primeiras memórias. No início ele gosta bastante das boas memórias que recebe: Uma noite de natal, lembranças do amor, um dia de neve. Mas aos poucos ele percebe que nem todas as memórias são boas e que algumas inclusive são bastante dolorosas, então ele conhece também a guerra, a fome e a morte.
Jonas começa a perceber também que vive em mundo onde ninguém tem escolhas, onde os sentimentos são mascarados e em vários momentos surge o questionamento: Será que se pudéssemos escolher, faríamos a escolha certa?.
Conforme o tempo vai passando um sentimento de revolta surge em Jonas, e faz com que ele e o doador, pensem se não seria muito mais justo se todos dividissem essas memórias, se todos soubessem como o mundo já foi e se todos pudessem fazer suas escolhas.

Esse o tipo de filme que nos faz questionar como seria nossa vida se não pudéssemos escolher e nós faz pensar na importância da nossa liberdade.

TRAILLER

 

Série: 3% (três por cento)

885x592-netflixgarcianoticias-20150805112242_2jrz

Hello, people!!

Outro dia, vi a Paula Buzzo indicando a série 3% no twitter, ela a elogiou tanto que eu tive que assistir. E posso falar: a série é boa meeesmo! Ah, sem contar que é brasileira e tem no netflix!!!

A sinopse de 3% é assim: “Em um futuro pós-apocalíptico não muito distante, o planeta é um lugar devastado. O Continente é uma região do Brasil miserável, decadente e escassa de recursos. Aos 20 anos de idade, todo cidadão recebe a chance de passar pelo Processo, uma rigorosa seleção de provas físicas, morais e psicológicas que oferece a chance de ascender ao Mar Alto, uma região onde tudo é abundante e as oportunidades de vida são extensas. Entretanto, somente 3% dos inscritos chegarão até lá.“

A história é muito interessante e a cada episódio você vai se interessando mais e mais pela vida dos candidatos e torcendo pela “vitória” de cada um. Sempre é falado do merecimento e acusa-se que o mal da sociedade é o pecado original, vislumbrando a construção de uma comunidade superior através do desapego do passado e dos que ficam para trás.  E a série trata de um tema bem brasileiro: a desigualdade.

Eu fiquei tão viciada que assisti cinco episódios em um único dia hahaha

Além de tudo isso, a série conta com bons atores veteranos e novos rostos que fazem um milagre na construção desse universo difícil de acreditar. Gostei muito também da representatividade negra e feminina.

Ah, se você não curte muito cenas de sangue, assim como eu, fique preparado para tampar os olhos SEMPRE!

A série contém 8 episódios em sua primeira temporada e com duração de 49 minutos.

Já conhecia 3%?? Me conte aqui nos comentários e deixe sua sugestão de série!! Beijos

03 Filmes com temas de Natal no Netflix!!

images.jpg

Hello, people!!

Se tem um programa que eu amo fazer é assistir filmes ❤ Já que estamos em clima natalino, que tal chamar a família e passar a tarde assistindo a filmes que têm esta data comemorativa tããão mágica como tema principal?  Então corra, chame a galera, prepare a pipoca e ligue a TV!

Feliz Natal – onde estão os presentes?

Boyd (Joel McHale) e sua família são forçados a passar um lamentável Natal na casa dos pais, junto ao excêntrico patriarca da família, Mitch (Robin Williams), que ele tenta evitar há anos. Quando percebe que deixou os presentes de seu filho em casa, Boyd e seu pai precisam pegar a estrada em meio a uma tempestade de neve e, para salvar o Natal, voltar antes do amanhecer. Aquele tipo de história com final previsível, mas leve e engraçada – vale pela diversão!

Um Natal Brilhante

Steve Finch (Matthew Broderick) adora comemorar o Natal. Todo ano ele segue uma série de tradições natalinas curiosas, que às vezes deixam sua esposa Kelly (Kristin Davis) e seus filhos Madison (Alia Shawkat) e Carter (Dylan Blue) meio estressados. A alegria natalina de Steve é destruída quando Buddy Hall (Danny DeVito), um vendedor de carros, vira seu vizinho. Logo surge uma rivalidade entre eles, envolvendo as comemorações de Natal.

O Grinch

Um Grinch (Jim Carrey) que odeia o Natal resolve criar um plano para impedir que os habitantes da pequena cidade de Quemlândia possam comemorar a data. Pra isso, na véspera do grande dia, Grinch resolve invadir as casas das pessoas e roubar delas tudo que seja relacionado ao Natal.

Que tal aumentarmos esta listinha? Conte nos comentários algum filme de Natal que você assistiu recentemente e adorou!

Filme: A Lista de Schindler

a-lista-de-schindler-blu-ray.jpg

Hello, people!

Para variar um pouquinho e sair do meu vício em só assistir comédias românticas ( sim, eu sou dessas haha), resolvi assistir um filme clássico: A Lista de Schindler. É um filme do ano 1993, dirigido por Steven Spielberg, uma grande obra-prima que deve ser considerada atemporal, capaz de retratar com brilhantismo os temas ‘ egoísmo e o racismo, o ódio e a intolerância’, fortalecido por belíssimas cenas que primam pelo humanismo e otimismo. Eu amei o filme, já entrou para a listinha dos favoritos, e eu super recomendo! A Lista de Schindler é uma obra de arte. ❤

O filme é uma grande reflexão sobre a história da humanidade e sobre o Holocausto Nazista. CONTÉM SPOILERS!!!!!!

Oskar Schindler, membro do partido nazista, nasceu em Zwittow-Brinnlitz, na Checoslováquia, no ano de 1908. Era um homem agradável, um cidadão de negócios e possuía grande poder de persuasão. Em 1941, Schindler fundou a D.E.F., uma fábrica de panelas onde contratava judeus como operários. Sendo assim, não permitia que os nazistas executassem seus operários e com isso criou um forte vínculo com os judeus.

O contador que Schindler escolheu era o  judeu Itzhak Stern. Este aproveita a oportunidade e “transforma” a fábrica de Schindler em um “paraíso”, um refúgio para os judeus se livrarem dos campos de extermínio e até mesmo da morte. Schindler é apresentado por Stern a um operário aleijado e pergunta a seu contador se aquele homem era útil. Stern responde que ele era muito aproveitável para livrá-lo da morte.

O Schindler defenderá sempre os seus trabalhadores, mesmo frente às maiores autoridades, desculpando-se com o argumento de que são uma fundamental e imprescindível fonte de rendimento.

Durante seus sete meses de funcionamento, a fábrica de munições Schindler’s Brinnlitz foi um modelo de improdutividade. Ele gastou milhões de marcos para sustentar seus trabalhadores e subornar oficiais Reich. Após a guerra, Schindler viu seu casamento acabar, assim como presenciou a falência de vários negócios. Em 1958, foi declarado um Honorário pelo Conselho de Yad Vashen em Jerusalém, e convidado a plantar uma árvore na Avenida dos Justos, que ainda cresce no mesmo local.

Mais de seis milhões de judeus foram assassinados durante o período nazista. Entretanto, a expressão hebraica citada no filme “Do Talmud“, que significa “aquele que salva uma vida, salva o mundo inteiro“, exemplifica perfeitamente o ato de Schindler. Das 1.100 pessoas que salvou, hoje em dia restaram mais de seis mil descendentes.

Trailler do Filme:

Espero que tenham gostado da resenha e que eu não tenha dado muitos spoilers hahaha Ah, deixem sua indicação de filmes nos comentários!

Beijos, beijos