Resenha: A Cabana

a-cabana

Hello, people!

As pessoas mais fascinantes que eu conheço leem, e leem muito. São aquelas que têm um bom papo, se enturmam em qualquer roda, conversam sobre tudo, têm conteúdo e sempre algo interessante a acrescentar. Então, garota, LEIA!

Diferentemente da maioria dos livros que eu leio, este livro não foi escolhido por mim, ele me escolheu. Sim, ganhei de presente da minha mãe e acabei lendo e me apaixonando! É preciso ter mente aberta para compreender e aprovar a leitura. O livro descreve Deus de uma forma diferente da que imaginamos, e não para por aí. É uma leitura cativante e extremamente emocionante.

A história que o livro traz é sem dúvida maravilhosa, sem contar o fato do livro ser muito bem escrito, com uma narrativa que te prende do começo ao fim. Os primeiros capítulos envolvem a trama do desaparecimento da filha de Mack até sua ida para a cabana e as primeiras descobertas dele do seu grande encontro não consegui parar de ler.

Depois o livro se tornou um pouco mais tranquilo na questão de entusiasmo -um pouco maçante até – mas ganha um contexto profundo trazendo grandes ensinamento sobre amor e relacionamento, mudando assim um pouco ou acrescento nova perspectiva sobre Deus, Jesus e o Espírito Santo…

O final é fantástico, em certa altura da leitura achei que o livro iria terminar ou se tornam um tanto fantasioso ou surreal demais. Sei que em um ponto, tudo começou a fazer sentido e comecei a entender a mensagem. Me fez chorar.

A maneira como Mackenzie aprende a se relacionar com Deus abriu minha visão do que realmente é amor.

Recomendo!!!

 

Resenha: Pollyanna

pollyanna_-_eleanor-h-porter

Hello, people!

As pessoas mais fascinantes que eu conheço leem, e leem muito. São aquelas que têm um bom papo, se enturmam em qualquer roda, conversam sobre tudo, têm conteúdo e sempre algo interessante a acrescentar. Então, garota, LEIA!

Uma amiga minha me indicou esse livro dizendo que ele tinha tudo a ver com a minha filosofia de vida. Pesquisei um pouquinho sobre e resolvi ler. Resultado: AMEEEEI ❤ Realmente tem tudo a ver com o que eu acredito e a leitura é bem simples e flui. Eu li em três horinhas e fiquei com vontade de ler mais hahaha Super recomendo!

Eu acredito que os livros sempre chegam na hora certa nas mãos de quem precisa, e dessa vez foi a minha hora, estava precisando dessa leitura!

Pollyanna é uma obra bastante “contente” que conta a história de uma garotinha, levando o mesmo nome do título do livro, que após perder sua família, teve que ir morar com sua tia (irmã de sua falecida mãe), a única parente próxima viva.

Sua tia, Miss Polly, a princípio, não é uma pessoa nada amável e Pollyanna faz de tudo para vê-la contente. Pollyanna, no entanto, é o contrário de sua tia. Ela é uma criança contagiante, que encontra motivo em tudo para estar contente.

No decorrer do livro, Pollyanna acaba cativando a todos na cidade, através do “jogo do contente”, que o seu pai havia ensinado, que funciona em ficar contente, mesmo com os piores motivos. No meio disso tudo, a garotinha acaba descobrindo alguns segredos do passado de sua tia, Miss Polly, e termina de conquistar e libertar a velha tia que vivia para cumprir seus deveres, e não para viver a vida.

Pollyanna é uma criança com o coração mais puro que já pude conhecer. Aprendeu com o pai a jogar o “jogo do contente”, quando ganhou um par de muletas ao invés de uma boneca. Seu pai lhe disse que ela poderia ficar contente com o presente, pois não precisaria delas, conseguia andar perfeitamente. Desde então, em todas as ocasiões sempre procurara ver o lado positivo de tudo. Mesmo que uma situação pareça um problema impossível, mesmo que uma notícia lhe deixe com uma profunda tristeza, ainda assim se lembrava do jogo. Às vezes poderiam levar dias, mas sempre encontrava algo para se ficar contente.

É uma leitura que flui bem, que nos faz parar para pensar em como reclamamos tanto, muitas vezes por besteira. Problemas tão pequenos, que pensamos que jamais terá fim. Não conseguimos ver nada de bom em nossas vidas, e sempre temos do que reclamar. Mas Pollyanna, com sua pureza e alegria, nos faz ver que sempre temos o que agradecer em nossas vidas. Sempre acontece algo de bom em nossos dias, mesmo que seja algo simples, algo que pareça pequeno. E são nessas coisas que devemos nos apegar.

Pollyana é o tipo de livro que todos deveriam ler. Uma história cheia de acontecimentos comoventes, narrada de uma forma leve pela visão de uma menina que procura ver sempre o lado bom das coisas. Super envolvente e traz lições que fazem o leitor refletir seu modo de encarar determinadas situações da vida. Recomendo!

Resenha: Anna e o beijo francês

anna

Hello, people!

As pessoas mais fascinantes que eu conheço leem, e leem muito. São aquelas que têm um bom papo, se enturmam em qualquer roda, conversam sobre tudo, têm conteúdo e sempre algo interessante a acrescentar. Então, garota, LEIA!

Escolhi esse livro depois de ter lido muitas resenhas que falavam do tanto que ele era romântico, engraçado, inocente e fofo. Acho que eu estava precisando de uma leitura mais leve mesmo haha Além disso, me encantou muito saber que a narrativa se passava em Paris, tem como não amar? ❤

Anna e o Beijo Francês é um livro sobre amizade, autoconhecimento e sobretudo, o poder de cura que o amor tem.

Anna  é uma garota de 17 anos, que tem amigos leais, um irmãozinho que a ama, um emprego que gosta (ela trabalha em um cinema), uma mãe carinhosa e até um “quase” namorado. Contudo, Anna terá que largar sua vida perfeita pois será enviada para passar seu último ano escolar em Paris. Sim, Paris!! Ela não gosta da ideia, pois ela sequer foi consultada sobre a decisão de seu pai, um autor famoso de quem ela tem um pouco de vergonha. Anna não sabe nada sobre a França, nem a língua e muito menos os costumes.

No fim das contas, a França não é tão ruim como ela imaginava e ela faz muitos amigos, se aproximando do grupo de Meredith. Principalmente de Étienne St. Clai com quem desenvolve, ao longo daquele ano estudantil, uma ligação fortíssima. O romance não está destacado, mas é possível sentir ele crescendo conforme os dois se aproximam. É possível entender a cabeça e os pensamentos de Anna, afinal de contas, ela não sabe se Étienne está ou não apaixonado por ela também e se ele deixaria um obstáculo para poder ficar com ela, mas também não sabe dizer se o relacionamento dos dois afetará outras pessoas.

Quando Anna volta à Atlanta no final do ano, ela descobre algo que a  deixa arrasada e com ainda mais dúvidas sobre St. Clair. Será que Anna conseguirá u beijo francês? L E I A ❤

O Livro da Stephanie Perkins é aquele romance delicioso para passar os dias nebulosos, escrito de uma forma linda, que nos faz querer implorar para conhecer a Paris descrita, e querer abraçar esses personagens.
Super recomendo!!!

Resenha: O menino do pijama listrado

o-menino

Hello, people!

As pessoas mais fascinantes que eu conheço leem, e leem muito. São aquelas que têm um bom papo, se enturmam em qualquer roda, conversam sobre tudo, têm conteúdo e sempre algo interessante a acrescentar. Então, garota, LEIA!

Todas as pessoas do mundo PRECISAM ler esse livro – sério! Ele conta uma história emocionante marcada pela inocência de dois garotos que desconheciam a real situação de um pais marcado pela guerra e a maldade humana. Retrata a inocência do amor de uma criança que não escolhe classe social, cor, aparência.. É emocionante.

Bruno é um garoto inocente de nove anos que vive no cenário da Segunda Guerra Mundial, mas sem o reconhecimento do que está acontecendo. No início ele se mostra um garoto mimado, mas ao decorrer da história sua personalidade e pensamento se transforma. Ele e sua família se mudam devido ao trabalho do pai, e da janela de seu quarto Bruno consegue enxergar pessoas em uma “fazenda” distante trajando “pijamas listrados”. Solitário, Bruno sempre procura lugares para se aventurar, e um dia acaba conseguindo chegar até a cerca, conhecendo Shmuel, iniciando uma amizade com o garoto.

É um livro muito rico de detalhes, e através dele conseguimos perceber a inocência de uma criança em meio ao Holocausto. A ingenuidade é de quebrar o coração, a bondade na visão de Bruno é dolorosa…

Uma leitura que te prende do começo ao fim, muito intensa, chocante e triste. É aquele livro que lemos e depois paramos e refletimos: E agora? O que eu faço? Quando acabei, a única coisa que eu queria saber era chorar.

O menino do pijama listrado merece cada uma das cinco estrelas, e John Boyne merece muito mais que isso! Leitura (e capa) espetacular. RECOMENDO!