FELIZ DIA DAS MULHERES???

Acordei cedinho e fui ao supermercado. Quando cheguei ainda não estava aberto, daí resolvi perguntar para as moças que estavam na porta que horas abriria. Descobri que ficaria meia hora sentada ali na porta então resolvi puxar papo
– Nossa, é muito ruim esperar né?
– É ruim, mas pior ainda é quando você liga e não te atendem. Meu noivo não encontra comigo há três meses porque meu ex está me ameaçando e ameaçando ele também. Estou ligando pra ele aqui e até agora ele não me atende.
– Sério? Você pode ir a delegacia denunciar, eu conheço o pessoal de lá, pode ir que eles vão te tratar super bem e vão te ajudar.
– Não posso ir lá, minha mãe disse que o pessoal vai ficar falando e que é melhor não mexer com isso. Ela quer que eu espere um tempo em casa e troque de chip até ele parar. Fala com ela aí.
Daí a mãe veio conversar comigo, me contou a história da vida dela toda, chorou, me deixou sem palavras e por fim disse:
– Você não tem ideia do tanto que dói ver minha filha correndo atrás de homem. Ela na se valoriza. Você tem namorado?
– Não tenho
– Mas você faz o que?
– Eu estudo
– Isso mesmo, a gente tem cuidar da gente, porque homem é igual a biscoito, vai um vem dezoito, mas a gente fica.
Dei uma risadinha sem graça e saí.
Agora descobri que é dia das mulheres, então, feliz dia para você que é tão especial HOJE, mulher. Enquanto isso o cotidiano vai TODO DIA jogando a realidade na sua cara.

Feminismo: Um breve histórico

FEMINISMO.jpg

Estudar as questões de gênero” está super  em alta – Amém!! –  e muitas meninas e meninos têm iniciado suas primeiras leituras sobre o tema. E até mesmo para os que já estão na faculdade, assim como eu, têm contato pela primeira vez com o tema. É engraçado, porque é tão antiquado essa coisa de preconceito contra mulher, e mesmo assim, algumas pessoas insistem nesse conservadorismo retrógrado. Por isso, torna-se importantíssimo discutirmos esse tema.

Sabemos que por muitos anos, era tido como “natural” o comportamento de submissão das mulheres frente a violência machista da sociedade patriarcal. A mulher era um mero objeto, servia para cuidar da casa e ter filhos, apenas. Hoje, já se sabe, por meio dos estudos sociológicos, que o argumento usado pelo cristianismo e pelos conservadores que defendem uma família patriarcal de dominação onde “é uma tradição, um costume e nunca vai mudar!” não deve ser aceito sem antes serem feitos alguns questionamentos básicos.

Para que  a mulher fosse tida como ser inferior, foram feitas re-significações de mitos  de forma que não nomeassem o poder da mulher, como exemplos:  Mito Ganimedes- Ardhanarishvara-Krishna e Havan- Davi e Jonatas- Aquiles e Patrocalo-Sócrates e Alcebiades- Gemamesh e Entides. Em todos eles a mulher não tinha grande valor.

O paradigma do Estado moderno violentou todos os mitos para não nomear o que é sexo, o que é gênero, o que é mulher, o que é gay para que possamos olhar diferentemente o outro, diferenciar, (categorizar o exótico). Assim, passamos a tratar o homem como padrão e a mulher e o gay como o diferente.

Mas quem define o que é normal? Luto, pela igualdade de gêneros! Mas a igualdade onde a diferença não precise ser deletada, onde haja respeito pelo pluralismo. Temos diferenças com relação aos homens sim, dentre elas: nós engravidamos, menstruamos, temos hormônios diferentes, órgãos sexuais diferentes, jornadas de trabalho diferentes já que nos submetemos aos afazeres domésticos, ganhamos 30% a menos ocupando o mesmo cargo, sofremos preconceitos, assédios..

São várias as diferenças. Pensando nisso, eu acredito na tese de que existem três tipos de igualdade: isonomia, equidade e diversidade. A primeira busca uma igualdade material, perante a lei, só a afirmação de que somos iguais. Essa nós já temos prevista no art 5º da Constituição: todos são iguais perante a lei. A equidade busca acabar com as diferenças existentes, como a pobreza, a deficiência física. uma doença.. Essa também já temos, por meio das cotas e dos benefícios. A terceira é a que eu luto por ela: Somos diferentes sim, como mulheres, como meninas, como moças.. Queremos preservar essa diferença e sermos aceitas assim. É preciso reconhecer a diversidade sem que para isso se estabeleça um padrão.

Quem disse que homens têm melhor condicionamento físico? A mídia, né? Porque eu não conheço nenhum estudo acadêmico que diga isso. Quem disse que mulher não tem aptidão para mecânica? O preconceito da sociedade, né? Porque eu nunca vi alguma mulher que estudou e sentiu interesse em mexer com isso reclamando de algo..

Dizer que feministas exageram nas lutas diárias, é o mesmo discurso utilizado pela sociedade machista quando algumas mulheres corajosas disseram que podiam trabalhar, dirigir, votar, falar, usar biquíni, estudar…

Não amigos, não venham me falar que já conquistamos a nossa igualdade. Pare para pensar, quantas notícias de homens estuprados por dia você ouve? E de mulheres? Quantos homens você conhece que reclamam que exercem a mesma profissão que uma mulher e recebem menos? E mulheres?? E assim, por diante…

-> Temos que tomar cuidado para não reproduzirmos esses discursos generalizantes. MULHERES PODEM SER O QUE ELAS QUISEREM!!!!

“Ninguém nasce mulher, torna-se mulher!”

Simone de Beauvoir

Vamos conversar sobre feminismo?

soro.jpg

F E M I N I S M O ~ O que essas nove letrinhas dizem a você? É algo ruim? Me conta, vai! E não esqueça de continuar lendo esse post, please! Vai servir para te fazer entender o real significado da palavra. Muita coisa que se diz sobre o feminismo não tem nada a ver com ele, não seja um mero reprodutor da ignorância, se informe!

Feminismo defende a igualdade, em todos os aspectos (social, político e econômico), entre homens e mulheres. Isso soa como algo excelente, não? lutar por uma sociedade mais justa e igualitária, independente do seu gênero para mim é algo perfeito!

Será que é mimimi defender igualdade?? Eu me recuso a acreditar nisso. Afinal, numa sociedade que vive sob o patriarcado, onde condutas machistas são vistas diariamente, que ainda discute que roupa uma mulher pode ou não usar e que até hoje faz diferença salarial e de tratamento profissional baseando-se no gênero para definir que mulheres devem receber menos, pode se achar digna para julgar o movimento feminista como um simples mimimi.

Outra coisa importante de se falar: não julgue o sofrimento das pessoas. O que pode parecer bobo e inofensivo para você, pode ser muito cruel para outra. Nós somos seres distintos e reagimos diferentemente às coisas. Então, antes de falar que alguma garota está de “mimimi”, ouça o que ela tem a dizer. Nesse mundo maluco que a gente vive, as pessoas estão diariamente criticando e julgando a dor alheia, sem ao menos se importar em praticar a empatia e a sororidade. Não é preciso ser amiga delas, mas é importante mostrar para as mulheres ao nosso redor (mesmo que elas não sejam tão próximas) que estaremos do lado delas caso elas passem por situações difíceis apenas por serem mulheres.

Estamos loooonge de termos uma igualdade de gêneros. Conseguimos muitos avanços, sim, eu reconheço. Mas igualdade de gêneros? N Ã O! Temos uma igualdade formal – aquela prevista em leis, que dizem que “homens e mulheres são iguais perante à lei”,que quer tratar todo mundo igualmente, sem levar em consideração as suas diferenças existe e deve ser respeitada. Mas, além desta, devemos ter e considerar a igualdade material – as das ações afirmativas, das cotas, que enxerga as diferenças e não busca simplesmente eliminá-las. Se não, de que valeria nosso tão propagado “homens e mulheres são iguais perante a lei”?! Isso que o feminismo está querendo e lutando, sabia?

O feminismo não é algo limitado ao que você imagina, a luta é muito maior que o seu mundo de privilégios.  Quando uma mulher se sente apoiada por outras e  percebe o que é (bonita, capaz, inteligente, forte, livre etc) ela se fortalece para não deixar mais que atitudes, pessoas, e situações  machistas a machuquem ou a exponha a violências físicas e psicológicas. Quer exemplos? Numa situação de violência doméstica constante o homem que bate na mulher  também a ofende dizendo todos os dias que ela não é nada sem ele, que ninguém vai amá-la, que ela não sabe fazer nada para se sustentar…. A vítima está psicologicamente frágil, vulnerável e passa a acreditar naquilo. Sem acreditar nela mesma, ela não reage e permanece naquela relação destrutiva. Se esta mulher encontra apoio, ajuda ou qualquer coisa que levante sua auto estima, (formas de empoderamento) ela se fortalece, se sente mais segura para se libertar daquele sofrimento.

Espero que vocês tenham gostado desse tema e que façam perguntas! Vou selecionar algumas para responder depois em um único post. Obrigada por chegarem tão longe nesse post enorme e até o próximo!

O que é ser perfeita para você?

11209486_652165461551659_7888356807625968059_n

Toda mulher precisa enlouquecer de vez em quando, ou acaba por enlouquecer de vez

Curiosamente, um mundo loucamente imperfeito nos exige perfeição o tempo todo. De todos nós, de fato, mas, em se tratando de mulheres, as exigências são ainda mais exorbitantes e cruéis. O mundo espera de nós o que, talvez, sequer saibamos se é possível – e que muito provavelmente não é.

O mundo espera que sejamos bonitas, acima de tudo. Lindas, se possível. Bem cuidadas, magras, torneadas, gostosas e sexys. E tenta nos convencer que não somos bonitas se não vamos ao salão de beleza semanalmente.

Uma mulher ~perfeita~ para o mundo atual tem que trabalhar o dia inteiro – porque precisa ser independente – estudar – porque precisa ser culta – fazer dieta, ir à academia e manter os cabelos com um brilho espetacular. Ir à manicure, sorrir para a sogra e, depois de tudo isso, ter disposição para fazer um sexo memorável a qualquer hora, para que o mundo – e, em alguns casos, excepcionalmente o seu companheiro – a considere uma mulher que vale a pena.

E ainda é preciso encontrar tempo pra rezar pra não ser trocada por outra – por que, como já ouvi incontáveis vezes: homens disponíveis estão mesmo difíceis de encontrar. E depois de nos aterrorizar com toda essa história de que precisamos agradar nossos homens, muito mais, até mesmo, do que sermos nós mesmas, ele nos cobra lucidez. Segurança. Serenidade.

A verdade é que o mundo nos cobra equilíbrio quando tudo o que ele faz é nos desequilibrar. Nos cobra segurança quando tudo converge para que acreditemos que não somos nada sem um homem ao lado, nos cobra união enquanto, culturalmente, nos lança umas contra as outras, fazendo-nos uma cruel lavagem cerebral que tenta nos convencer de que somos desunidas e competitivas.

E os homens de nossas vidas – pais, companheiros, amigos – embora, muitas vezes, cheios de boas intenções, acabam por nos atribuir uma responsabilidade que talvez sejamos incapazes de assumir: a de sermos boas o suficiente o tempo todo.

De não mexer no celular dele. De deixá-lo ver futebol em paz. De não sentir ciúmes da amiga gostosa. De se portar dignamente, elegantemente, graciosamente. De não enlouquecer nunca – e se você aceita um conselho, toda mulher precisa enlouquecer de vez em quando, ou acaba por enlouquecer de vez.

Se cada homem no mundo pudesse escutar a minha voz, o único conselho que eu daria é: deixe-nos enlouquecer quando quisermos. Porque não há amor sem uma dose de loucura. Porque equilíbrio absoluto numa relação jamais foi um bom sinal. E toda mulher tranquila e que nunca te interroga sobre o seu atraso pode não ser tão equilibrada assim: ela pode, simplesmente, não te amar.

A intensidade é parte de cada passo nosso. A insensatez eventual nos é necessária e característica. E se não lhe tivermos um pouco de loucura, certamente não lhe temos sequer um pouco de amor.

Por Nathalí Macedo.